RSS

Arquivo da categoria: Livros

Bibliomanias…

Livros antigos e baunilha

CURIOSIDADES: Você sabe porque o cheiro dos livros antigos atraem tanta gente??

Por causa da Lignina que os livros tem aquele cheiro maravilhoso de baunilha. Agora vocês me perguntam, mas o que é Lignina?? (não sei vocês, mas eu nunca tinha escutado essa palavra e fui pesquisar…)

A lignina, é uma substância que impede que todas as árvores se curvem, é um polímero feito de unidades que são proximamente relacionadas à vanilina. Quando transformada em papel e conservada por anos, ela cheira bem. E essa é a maneira como a Divina Providência organizou as coisas para que os donos de sebos possam ter cheiro de baunilha, subliminarmente dando uma fome de conhecimento em todos nós.

Agora se alguem te chamar de louco por cheirar seus livros, explica que a culpa é da Lignina, e ai cabe a vc decidir se vai explicar o que significa essa palavra, ou mandar seu amigo ir pesquisar sozinho!

Curioso não é mesmo??

Fonte: http://www.facebook.com/pages/Eu-amo-Ler/389742681051228

 
2 Comentários

Publicado por em 12/05/2012 em Livros

 

Livros e sonhos

“Os livros não matam a fome, não suprimem a miséria,

não acabam com as desigualdades e com as injustiças do mundo,

mas consolam as almas, e fazem-nos sonhar”

(Olavo Bilac)

 
 

Tags:

Por que lemos Jane Austen?

The Jane Austen Guide to Happily Ever After: A Review

 

Posted by LAURA BOYLE | Published: APRIL 11, 2012

 

 

In her book, The Jane Austen Guide to Happily Ever After, Elizabeth Kantor asks the question, “Just what is it about Jane Austen that has us coming back year after year, decade after decade, making her by far the most famous female writer of her time. Why DO we read Jane Austen?” It’s more than just wanting a good read or to be part of a perfect world, set apart in time. She theorizes that “We wish we could be Jane Austen heroines in our own lives, dealing with everything—especially men—with the sophistication and competence we admire in characters like Elizabeth Bennet. Women see something in Jane Austen  that’s missing from modern relationships, and we can’t help wondering if there might be some way to have what we see there—without going back to empire waistlines, horse-drawn carriages, and the bad old days before the Married Women’s Property Act.”

“I am only resolved to act in that manner, which will, in my own opinion, constitute my happiness”
-Elizabeth Bennet

My mother’s favorite axiom is, “Your attitude is your choice”. After researching all of Jane’s work, using not only her six published novels, but also the fragments, Juvenilia and surviving letters, Kantor has come to a similar conclusion. Your happiness—or lack thereof, is the result of your own choices in life. Sure, we can be dealt situations less than idyllic—not everyone can be born a gentleman’s daughter in Hertfordshire, but the first question she would have us ask of ourselves is whether or not we are acting in the pursuit of long term happiness. Not the “of course I want to be happy” kind of happiness, but the “Will this choice (boyfriend, relationship, marriage) contribute to long term, lasting happiness?” Here, she contrasts the life styles of Lydia Bennet, who lives for the thrill of the moment, and Elizabeth, who weighs her choices in light of the effect they will have on her future. By consciously choosing happiness (over immediate gratification, or even instant security—think Charlotte  Lucas) Kantor proposes that we have made the first step in shedding modern cynicism about happiness in general and in taking control of our future.

This may free you to release a long over relationship, or begin a new one. It will certainly cause you to begin being responsible for your own choices, looking ahead at the consequences of each one and choosing whether or not they are in line with future you want for yourself.

“How despicably have I acted!” she cried. — “I, who have prided myself on my discernment! — I, who have valued myself on my abilities! who have often disdained the generous candour of my sister, and gratified my vanity, in useless or blameable distrust. — How humiliating is this discovery! — Yet, how just a humiliation! –I have courted prepossession and ignorance, and driven reason away, where either were concerned. Till this moment, I never knew myself.”
-Elizabeth Bennet, Pride and Prejudice

Each one of Austen’s heroines reached a crisis point in which she was unsure of her own actions or behavior, and each one had to evaluate whether or not she would continue the path she was on or choose to turn back and change her way of dealing with life. For some, this meant metamorphical thinking, for others, like Anne Elliot and Elinor Dashwood, it reaffirmed the correctness of their original behavior. By choosing to change or stay the course, each one of us becomes responsible for our own, ultimate happiness in life.

Kantor’s book is divided into sixteen easy to read chapters (I devoured it in one sitting!) with titles including  In Love, Look for Happiness, Work on All your Relationships, Jane Austen’s Skeleton Keys to a Man’s Potential, The Real, Original “Rules”, and Arrange Your Own Marriage—In the Most Pleasant Manner Possible. Each chapter pulls scenarios from not only the Austen canon, but also from pop culture, news headlines and even Kantor’s own relationship history, and ends with three bulleted sections: “Adopt and Austen Attitude” (take a minute for Jane Austen-style “serious reflection”) “What would Jane Do?” and “If We Really Want to Bring Back Jane Austen…” Also sprinkled among the pages are “Tips just for Janeites”; catchy summaries of each section, like “Drama is not the same thing as Love”. Additional essays, such as “Choose Your Entertainment Carefully—And Notice What It’s Doing to You” and “A Jane Austen Heroine in the Twenty-First Century” can be found augmenting select chapters. An impressive Appendix, exhaustive Chapter Notes and Index finish my edition of this book.

Elizabeth, feeling all the more than common awkwardness and anxiety of his situation, now forced herself to speak; and immediately, though not very fluently, gave him to understand that her sentiments had undergone so material a change, since the period to which he alluded, as to make her receive with gratitude and pleasure his present assurances. The happiness which this reply produced, was such as he had probably never felt before; and he expressed himself on the occasion as sensibly and as warmly as a man violently in love can be supposed to do. Had Elizabeth been able to encounter his eye, she might have seen how well the expression of heartfelt delight, diffused over his face, became him; but, though she could not look, she could listen, and he told her of feelings, which, in proving of what importance she was to him, made his affection every moment more valuable.
–Pride and Prejudice

All in all, I didn’t know what to expect when I opened this book, so I was delighted to find it a well-researched, entertaining read that still packed a punch. Kantor’s top advice to women might be summarized by saying, “Grow up! Take responsibility for your own happiness. Work on all your relationships. Don’t sit around waiting for “Mr. Darcy” to sweep you off your feet—be worth sweeping for! Don’t sell yourself cheaply.” This book is aimed at single women desiring long term/marriage relationships. It realizes however, that that may not be the outcome for each reader. Does that mean that you have no chance at “Happily Ever After”? Absolutely not.

Jane Austen, as far as we can tell, lived life by the same code of conduct she instilled in each of her heroines. She may not have been as instantly eloquent as Elizabeth Bennet or as supremely self-controlled as Elinor Dashwood, but neither was she willing to settle for less that complete happiness in marriage. Did she then live an unfulfilled and dull life? Of course not. After all, happiness is a choice.

I think my mother would approve.

Elizabeth Kantor is author of The Politically Incorrect Guide to English and American Literature and an editor for Regnery Publishing. An avid Jane Austen fan, she is happily married and lives with her husband and son in Maryland, USA.

  • RRP: £16.99
  • Hardcover: 304 pages (also available for the Kindle)
  • Publisher: Regnery Publishing (19 April 2012)
  • Language English
  • ISBN-10: 1596987847
  • ISBN-13: 978-1596987845

Laura Boyle runs Austentation: Regency Accessories. Her book, Cooking with Jane Austen and Friends, is available from the Jane Austen Centre Giftshop. Visit Austentation for a large range of custom made hats, bonnets, reticules and Jane Austen related items.

Fonte: The Jane Austen Centre

 
2 Comentários

Publicado por em 22/04/2012 em Livros, Pensamentos

 

Tags: , ,

Figurinos de época maravilhosos

A costume drama at Sands Films studios

‘This is where an actor meets their character for the first time,’ hears David Levene as he visits the costume workshop in south London. Along with making period costumes for forthcoming films, the studio is preparing for a European exhibition of its work for productions including Little Dorrit (1988) and Bright Star (2009). It is currently creating costumes for the film adaptation of Les Misérables.

Clique aqui para ver o audio-slideshow

Fonte: The Guardian, 11/04/2012

 
Deixe um comentário

Publicado por em 22/04/2012 em Cinema, Livros, TV

 

Tags: , ,

Preços no Brasil

Há muitos exemplos absurdos dos valores de produtos no Brasil, especialmente no quesito livros, DVD´s e Blu-Rays. Um exemplo:

DVD Ultimate Sherlock Holmes Collection- Importado – 12 DVDs

DVD Ultimate Sherlock Holmes Collection- Importado

Loja on-line brasileira: R$ 868,90

Loja on-line dos Estados Unidos: US$ 113.67

Tudo bem, tudo bem. Dirão que se trata de um supérfluo. Mas basta fuxicar na internet para descobrir outros exemplos absurdos de produtos não tão supérfluos assim…

 

 
 

Dia Nacional do Livro Infantil

No início do mês de abril, comemorou-se o Dia Internacional do Livro Infantil.

Hoje é a vez do Dia Nacional do Livro Infantil, e para comemorar a data, nada melhor que divulgar uma iniciativa de incentivo e apoio à leitura que já acontece há algum tempo. Confiram:

Projeto ‘Mais Leitura’ oferece livros novos a R$ 2 no Rio

Primeira unidade foi inaugurada em 15 de julho, em São Gonçalo.
Objetivo é levar à população estímulo à leitura.

Do Bom Dia Rio

Moradores de Bangu, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, de São João de Meriti, na Baixada Fluminense, e de São Gonçalo, na Região Metropolitana, têm a oportunidade de adquirir livros novos a partir de R$ 2 através do “Projeto Mais Leitura”.

A primeira unidade do projeto foi inaugurada em 15 de julho, em São Gonçalo, e até o final de novembro, as três unidades já tinham vendido mais de 26 mil livros. O projeto funciona em agências da imprensa oficial, dentro das unidades do Rio Poupa Tempo.

Em São Gonçalo são vendidos em média 200 livros por dia. Já em São João de Meriti e em Bangu, a expectativa é de alcançar a marca de mil livros diariamente. O objetivo do projeto é levar à população estímulo à leitura, oferecendo publicações que custariam entre R$ 40 ou R$ 60 por apenas R$ 2.

A renovada oferta de títulos é fruto da parceria do projeto com as editoras, que também conta com o apoio do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL).

Saiba onde encontrar os estandes:

São Gonçalo
São Gonçalo Shopping: Avenida São Gonçalo, nº 100, 3º piso, Boa Vista.

São João de Meriti
Shopping Grande Rio: Estrada Municipal de São João de Meriti, nº 111, 1º pavimento/ Prédio Deck Parking.

Bangu
Bangu Shopping: Rua Fonseca, nº 240, 2º piso.

Serviço:
Horário de atendimento: segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, e sábados, das 8h às 13h.

Do site de notícias G1

Mais no site do RJTV

 
Deixe um comentário

Publicado por em 18/04/2012 em Datas, Livros

 

SciELO Brasil lança portal de livros eletrônicos

Rede de periódicos científicos no país lança o portal “SciELO Livros”, que promete democratizar o acesso a produções científicas desenvolvidas por brasileiros

Por Elton Alisson
Agência FAPESP

Foi lançado em 30 de março, durante evento na Universidade Estadual Paulista (Unesp), em São Paulo, o portal SciELO Livros.

Integrante do programa Scientific Eletronic Library Online SciELO Brasil – resultado de um projeto financiado pela FAPESP em parceria com o Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde (Bireme) –, o portal visa à publicação on-line de coleções de livros de caráter científico editados, prioritariamente, por instituições acadêmicas.

A iniciativa pretende aumentar a visibilidade, o acesso, o uso e o impacto de pesquisas, ensaios e estudos realizados, principalmente, na área de humanas, cuja maior parte da produção acadêmica é publicada na forma de livros. “Uma porcentagem significativa de citações que os periódicos SciELO fazem, principalmente na área de humanas, está em livros. E como um dos objetivos da coleção SciELO é interligar as citações entre periódicos, a ideia é também fazer isso com livros”, disse Abel Packer, membro da coordenação do programa SciELO, à Agência FAPESP.

De acordo com Packer, a ideia do projeto foi sugerida em 2007 pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e foi iniciado em 2009 sob a liderança e financiamento de um grupo formado pelas editoras da Universidade Estadual Paulista (Unesp), Universidade Federal da Bahia (UFBA) e Fiocruz.

O desenvolvimento da plataforma metodológica e tecnológica contou com a cooperação da Bireme, e a execução do projeto teve apoio institucional e de infraestrutura da Fundação de Apoio à Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Inicialmente, o portal reunirá cerca de 200 títulos, distribuídos mais ou menos igualmente entre as editoras das três universidades. A partir do lançamento, a expectativa é que a coleção possa contar com a adesão de outras editoras acadêmicas.

Para integrar o portal, as editoras e as obras são selecionadas de acordo com padrões de controle de qualidade aplicados por um comitê científico e os textos são formatados de acordo com padrões internacionais que permitem o controle de acesso e de citações.

A publicações poderão ser lidas por meio de plataformas de e-books, tablets, smartphones ou na tela de qualquer computador, acessadas diretamente do portal ou de buscadores na internet, como o Google, e também serão publicadas em portais internacionais.

“A ideia é contribuir para desenvolver infraestrutura e capacidade nacional na produção de livros em formato digital e on-line, seguindo sempre o estado da arte internacional”, explicou Packer.

Segundo ele, a plataforma metodológica e tecnológica desenvolvida para publicação de livros eletrônicos para a coleção da SciELO Brasil deverá ser utilizada por outros países que formam a rede SciELO para publicar suas coleções nacionais, com gestão autônoma.

Venda de livros

Além das obras com acesso aberto e gratuito, o portal SciELO Livros também possui uma área na qual será possível ao usuário comprar obras das editoras integrantes do projeto no formato e-book.

“A venda deverá ser uma das fontes de recursos financeiros previstos na operação autosustentável do portal. Isso representa uma novidade para o SciELO, que tem acesso totalmente aberto para os seus periódicos. Entretanto, o número de livros em acesso aberto deverá predominar”, disse Packer.

Segundo ele, a meta inicial é publicar entre 300 a 500 títulos por ano no portal. Entretanto, esse número de publicações dependerá da reação das editoras e do público.

“Se o projeto tiver um sucesso semelhante ao do SciELO Periódicos, o desenvolvimento do portal poderá ser mais rápido, e ele deverá contar com muito mais livros”, estimou.

Criada em 2007, o SciELO Brasil é, segundo o Ranking Web of World Repositories, conhecido como Webometrics, o líder mundial entre os maiores portais de informação científica em acesso aberto e gratuito no mundo.

Em 2011, de acordo com Packer, a coleção SciELO Brasil teve uma média diária de 1,2 milhão de downloads de artigos. Seu modelo de publicações de periódicos é adotado hoje por diversos países e forma uma rede de coleções nacionais.

Os países com coleções certificadas estendem-se pela América Latina, como Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, México e Venezuela, e Europa (Espanha e Portugal). A coleção da África do Sul está prevista para ser qualificada e certificada em 2012.

A expectativa é que esses países também venham adotar o modelo SciELO de publicação de livros em formato digital.

SciELO Livros: http://books.scielo.org

Fonte: Café História

 
Deixe um comentário

Publicado por em 10/04/2012 em Livros

 

Links para todos os gostos

Links autorizados para filmes, músicas, arte, livros…

3 mil filmes para ver no YouTube

O YouTube disponibilizou um canal com aproximadamente três mil filmes on-line. O projeto, que havia sido descontinuado, voltou ao ar no mês de agosto. A lista traz desde clássicos absolutos, que fizeram a história do cinema na primeira metade do século passado, até filmes recentes que ficaram famosos em festivais independentes. O canal também traz filmes “trash” do cinema indiano, jamaicano e nigeriano. Todos os filmes estão em inglês, mas legendas em 30 idiomas podem ser ativadas no próprio Youtube. Alguns destaques do canal: “O Nascimento de Uma Nação”, filme mudo estadunidense de 1915 co-escrito, coproduzido e dirigido por D. W. Griffith, baseado no romance “The Clansman”, de Thomas Dixon.  “O Gabinete do Doutor Caligari”, a primeira grande obra do expressionismo alemão, dirigido por  Robert Wiene em 1920. “Nosferatu”, de F. W. Murnau, outro clássico do expressionismo alemão, realizado em 1922. “O Encouraçado Potemkin”, de Sergei Eisenstein, filme soviético de 1925 que retrata a revolução russa de 1905. “A General”, a obra-prima de Buster Keaton, realizado em 1927. “M”, o primeiro filme do cineasta alemão Fritz Lang e um dos filmes mais influentes da história do cinema.  “Daqui a Cem Anos”, de Alexander Korda, produzido em 1936 e considerado a primeira superprodução de ficção científica da história; e “O Estranho”, drama noir escrito, dirigido e estrelado por Orson Welles em 1946. O canal também traz clássicos recentes como “Slacker”, de 1991, filme de estreia de Richard Linklater; o premiadíssimo “Pão e Tulipas”’, realizado em 2000, pelo diretor italiano Silvio Soldini; e “The Conspirator”, filme independente de Robert Redford, produzido em 2010, que narra o julgamento de Mary Surratt, mãe de um dos homens que ajudou a planejar o assassinato de Abraham Lincoln. Outro destaque do canal é o documentário “Home”, do fotógrafo francês Yann Arthus-Bertrand, que retrata a terra por meio da visão de um pássaro, sobrevoando mais de 50 países e mostrando as fragilidades do planeta. Para acessar: http://bit.ly/nacjoa
Toda a obra de Charlie Chaplin, como ator, disponível on-line
O Open Flix é um canal do YouTube, administrado pelos criadores do site Cinevault, portal especializado em filmes de domínio público ou que tiveram seus direitos de exibição cedidos. O acervo tem mais de 1000 filmes disponíveis on-line. Um dos destaques do canal é uma seção destinada a Charlie Chaplin, onde estão disponibilizados todos os filmes (integrais ou trechos) em que Chaplin atuou como ator. Charles Spencer Chaplin nasceu em Londres, em 16 de abril de 1889, e morreu em 25 de dezembro de 1977. Foi o maior nome da era do cinema mudo, notabilizado pelo uso de mímica e da comédia pastelão. Sua carreira também foi uma das mais profícuas da história do cinema, durou mais de 75 anos, desde suas primeiras atuações quando ainda era criança nos teatros do Reino Unido, durante a Era Vitoriana, até sua morte aos 88 anos, em 1977. Seu principal e mais famoso personagem foi o vagabundo Carlitos. Em 1972, Charlie Chaplin recebeu o Oscar pelo conjunto de sua obra e pelo “efeito incalculável que teve em tornar os filmes uma forma de arte”. Durante a cerimônia de entrega do prêmio recebeu a mais longa ovação da história do Oscar, foi aplaudido de pé, por cerca de dez minutos. Para acessar o canal do YouTube: http://bit.ly/pm96qg Para acessar o portal Cinevault: http://www.cinevault.com/
Documentários
1300 documentários, divididos em 40 categorias, para ver on-line. Para acessar:  http://bit.ly/e3k58
500 filmes britânicos para ver no YouTube
Celebrating Classic British Films é um canal do YouTube que reúne cerca de 500 clássicos do cinema britânico em versões integrais. O canal, criado por um fã, faz uma retrospectiva do cinema britânico de 1920 a 1980. Desde diretores clássicos, que se tornaram imortais por seus filmes, como Alfred Hitchcock e David Lean, até nomes mais recentes e ainda atuantes como Stephen Frears, Peter Greenaway, Mike Newell e Ken Loach. Entre as preciosidades do canal está a primeira versão fílmica de “Sherlock Holmes”, dirigida por Leslie S. Hiscott, em 1931, além das estreias dos diretores Stephen Frears, no curta-metragem “The Burning”, de 1968, e Alfred Hitchcock, no filme “O Jardim do Prazer”, de 1925.  Também está disponível o primeiro grande sucesso de Hitchcock, “O Locatário”, de 1927, baseado nos assassinatos de Jack, o Estripador.  Do lendário David Lean estão disponíveis, “Grandes Esperanças”, de 1946, e “Oliver Twist”, de 1948, ambos baseados na obra de Charles Dickens, além do clássico “A Ponte do Rio Kwai”, que venceu o Oscar de melhor filme em 1957. Também estão disponíveis os filmes de estreia de Peter Greenaway, “Death of Sentiment”, 1962, e  “Diary of a Young  Man”, de Ken Loach, de 1964. Outra raridade do canal é “The Kindness of Strangers”, produzido originalmente para televisão por Mike Newell, em 1967. Entre os clássicos recentes está “Women in Love” (“Mulheres Apaixonadas”), adaptado do livro de homônimo de D.H. Lawrence e dirigido por Ken Russell, em 1970. Os filmes estão em inglês, mas legendas em 30 idiomas podem ser ativadas no próprio Youtube. Para acessar: http://bit.ly/qNJGxW
O primeiro filme
O primeiro filme da história, gravado por Louis Lumière e por Auguste Lumière, em 1895. Para acessar: http://bit.ly/yAOVwf
Simon’s Cat
Canal do You Tube dedicado ao gato mais travesso da internet. Para acessar:  http://bit.ly/TmrN
Acervo da televisão europeia 
Acervo on-line da televisão europeia. O conteúdo pode ser consultado a partir de 1900. Para acessar: http://bit.ly/y7wK2w
Toda a obra poética de Fernando Pessoa para download
O portal Domínio Público disponibilizou para download a poesia completa de Fernando Pessoa. Embora sem uma ordem cronológica adequada e com edições repetidas, o acervo contempla toda a obra conhecida do poeta português. Fernando Pessoa nasceu em Lisboa, em junho de 1888, e morreu em novembro de 1935, na mesma cidade. É considerado, ao lado de Luís de Camões, o maior poeta da língua portuguesa e um dos maiores da literatura universal. Seus poemas mais conhecidos foram assinados pelos heterônimos Álvaro de Campos, Ricardo Reis, Alberto Caeiro, além de um semi-heterônimo, Bernardo Soares, que seria o próprio Pessoa, um ajudante de guarda-livros da cidade de Lisboa e autor do “Livro do Desassossego”, uma das obras fundadoras da ficção portuguesa no século XX. Além de exímio poeta, Fernando Pessoa foi um grande criador de personagens. Mais do que meros pseudônimos, seus heterônimos foram personagens completos, com biografias próprias e estilos literários díspares. Álvaro de Campos, por exemplo, era um engenheiro português com educação inglesa e com forte influência do simbolismo e futurismo. Ricardo Reis era um médico defensor da monarquia e com grande interesse pela cultura latina. Alberto Caeiro, embora com pouca educação formal e uma posição anti-intelectualista (cursou apenas o primário), é considerado um mestre. Com uma linguagem direta e com a naturalidade do discurso oral, é o mais profícuo entre os heterônimos. São seus “O Guardador de Rebanhos”, “O Pastor Amoroso” e os “Poemas Inconjuntos”.  O crítico literário Harold Bloom, em entrevista à revista “Época”, afirmou que a obra de Fernando Pessoa é o legado da língua portuguesa ao mundo. Para acessar: http://bit.ly/ffoF7T
O vocabulário de Machado de Assis
Uma página com os termos mais utilizados pelo escritor. Para acessar: http://bit.ly/Atjp0J
100 clássicos literários para download
Lançado em 2004, o Domínio Público é um dos maiores portais de conteúdo livre para download do mundo.  O acervo é composto por obras em domínio público ou que tiveram seus direitos de divulgação cedidos pelos detentores legais. No Brasil, os direitos autorais duram setenta anos contados de 1° de janeiro do ano subsequente à morte do autor. Fiz uma compilação com 100 obras, entre autores brasileiros e estrangeiros, escolhidas entre os 10 mil títulos disponíveis no portal. A lista, traz desde livros seminais, formadores da cultural ocidental, como “Arte Poética”, de Aristóteles, até o célebre “Ulisses”, de James Joyce, considerado um dos livros mais influentes do século 20, além de clássicos brasileiros e portugueses. Entre os livros escolhidos estão “A Divina Comédia”, de Dante Alighieri; “Don Quixote”, de Miguel de Cervantes;  “Os Lusíadas”, de Luís Vaz de Camões; “A Metamorfose”, de Franz Kafka;  “A Volta ao Mundo em Oitenta Dias”, de Júlio Verne;  “Os Escravos”, de Castro Alves; “Via-Láctea”, de Olavo Bilac; “A Escrava Isaura”, de Bernardo Guimarães; “Poemas”, de Safo; “Uma Estação no Inferno”, de Arthur Rimbaud; “O Homem que Sabia Javanês e Outros Contos”, de Lima Barreto; “Lira dos Vinte Anos”, de Álvares de Azevedo;  “História da Literatura Brasileira”, de José Veríssimo Dias de Matos; “Eu e Outras Poesias”, de Augusto dos Anjos; “A Esfinge Sem Segredo”, de Oscar Wilde; “Schopenhauer”, de Thomas Mann; “O Elixir da Longa Vida”, de Honoré de Balzac; “Cândido”, de Voltaire; “Viagens de Gulliver”, de Jonathan Swift; “Utopia”, de Thomas Morus; “Canção do Exílio”, de  Gonçalves Dias; “A Carne”, de Júlio Ribeiro; “Os Sertões”, de Euclides da Cunha; além das principais obras de William Shakespeare, Fernando Pessoa,  Machado de Assis, Florbela Espanca e Eça de Queirós.   Para fazer o download basta clicar sobre o livro selecionado. Para acessar: http://bit.ly/pGpYjD
As entrevistas da Paris Review
Todas as entrevistas da lendária “Paris Review”. São mais de 200 entrevistas com nomes como T.S Eliot, Ernest Hemingway, Jorge Luis Borges, William Burroughs, Simone de Beauvoir, Jack Kerouac. Para acessar:  http://bit.ly/9pPkDI
As grandes entrevistas da Playboy
As grandes entrevistas da “Playboy” americana, disponíveis on-line (algumas antológicas como as de Martin Luther King e John Wayne). Para acessar: http://bit.ly/eYCGGy
Textos fundadores do Modenismo
20 revistas históricas, que publicaram os textos fundadores do Modernismo,  disponíveis on-line. Os textos foram publicados entre 1900 e 1922. Para acessar: http://bit.ly/xPMvmm
60 obras sobre os principais pensadores da educação para download
O Mi­nis­té­rio da Edu­ca­ção, em par­ce­ria com a Unes­co e a Fun­da­ção Jo­a­quim Na­bu­co, dis­po­ni­bi­li­zou pa­ra downlo­ad a Co­le­ção Edu­ca­do­res, uma sé­rie com 62 li­vros so­bre per­so­na­li­da­des da edu­ca­ção. A co­le­ção traz en­sai­os bi­o­grá­fi­cos so­bre 30 pen­sa­do­res bra­si­lei­ros, 30 es­tran­gei­ros, e dois ma­ni­fes­tos: “Pi­o­nei­ros da Edu­ca­ção No­va”, de 1932, e “Edu­ca­do­res”, de 1959. A es­co­lha dos no­mes pa­ra com­por a co­le­ção foi fei­ta por re­pre­sen­tan­tes de ins­ti­tu­i­ções edu­ca­cio­nais, uni­ver­si­da­des e  Unes­co. O cri­té­rio pa­ra a es­co­lha foi re­co­nhe­ci­men­to his­tó­ri­co e o al­can­ce de su­as re­fle­xões e con­tri­bui­ções pa­ra o avan­ço da edu­ca­ção no mun­do. No Bra­sil, o tra­ba­lho de pes­qui­sa foi fei­to por pro­fis­si­o­nais do Ins­ti­tu­to Pau­lo Frei­re. No pla­no in­ter­na­ci­o­nal, foi tra­du­zi­da a co­le­ção Pen­seurs de l’édu­ca­ti­on, or­ga­ni­za­da pe­lo In­ter­na­ti­o­nal Bu­re­au of Edu­ca­ti­on (IBE) da Unes­co, em Ge­ne­bra, que reú­ne al­guns dos mai­o­res pen­sa­do­res da edu­ca­ção de to­dos os tem­pos e cul­tu­ras. In­te­gram a co­le­ção os se­guin­tes edu­ca­do­res/pen­sa­do­res: Al­ceu Amo­ro­so Li­ma, Al­fred Bi­net, Al­mei­da Jú­ni­or, An­drés Bel­lo, An­ton Maka­renko, An­to­nio Gram­sci, Aní­sio Tei­xei­ra, Apa­re­ci­da Joly Gou­veia, Ar­man­da Ál­va­ro Al­ber­to, Aze­re­do Cou­ti­nho, Ber­tha Lutz, Bog­dan Su­cho­dolski, Carl Ro­gers, Ce­cí­lia Mei­re­les, Cel­so Su­cow da Fon­se­ca, Cé­les­tin Frei­net, Darcy Ri­bei­ro, Do­min­go Sar­mi­en­to, Dur­me­val Tri­guei­ro, Ed­gard Ro­quet­te-Pin­to, Fer­nan­do de Aze­ve­do, Flo­res­tan Fer­nan­des, Fre­de­ric Skin­ner, Fri­e­drich Frö­bel, Fri­e­drich He­gel, Fro­ta Pes­soa, Ge­org Kers­chen­stei­ner, Gil­ber­to Freyre, Gus­ta­vo Ca­pa­ne­ma, Hei­tor Vil­la-Lo­bos, He­le­na An­ti­poff, Hen­ri Wal­lon, Hum­ber­to Mau­ro, Ivan Il­lich, Jan Amos Co­mê­nio, Je­an Pi­a­get, Je­an-Jac­ques Rous­se­au, Je­an-Ovi­de De­croly, Jo­hann Her­bart, Jo­hann Pes­ta­loz­zi, John Dewey, Jo­sé Mar­tí, Jo­sé Má­rio Pi­res Aza­nha, Jo­sé Pe­dro Va­re­la, Jú­lio de Mes­qui­ta Fi­lho, Liev Se­mio­no­vich Vygotsky, Lou­ren­ço Fi­lho, Ma­no­el Bom­fim, Ma­nu­el da Nó­bre­ga, Ma­ria Mon­tes­so­ri, Ní­sia Flo­res­ta, Or­te­ga y Gas­set, Pas­cho­al Lem­me, Pau­lo Frei­re, Ro­ger Cou­si­net, Rui Bar­bo­sa, Sam­paio Dó­ria, Sig­mund Freud,Val­nir Cha­gas, Édou­ard Cla­pa­rè­de e Émi­le Durkheim. Pa­ra aces­sar: http://bit.ly/fy7rhp
John Fante inédito
Um texto de John Fante, do livro póstumo The Big Hunger, ainda inédito no Brasil. Traduzido por Clara Averbuck. Para acessar: http://bit.ly/y4IESh
Ezra Pound em áudio
A obra completa de Ezra Pound em áudio. Para acessar:  http://bit.ly/bClKr1
A biblioteca de Julio Cortázar
Livros, dedicatórias, anotações, bilhetes, recortes de jornal de um dos mais importantes escritores de todos os tempos, o argentino Julio Cortázar. Para acessar:  http://bit.ly/4CvMIy
As 100 obras-primas da música clássica para ouvir on-line
O site de compartilhamento de músicas on-line Grooveshark disponibilizou uma playlist com as 100 obras-primas da música clássica. A lista, que compreende o período de 1685 a 1928, é uma compilação da série “Top 100 Masterpieces of Classical Music”, publicada em 10 volumes, em 1994. Cada um dos volumes abrange um período de 40 anos e reúne as 10 dez melhores peças de cada período executadas por orquestras diferentes. A lista  traz nomes como Johann Sebastian Bach, Johann Pachelbel, George Frederick Handel, Henry Purcell, Antonio Vivaldi, Tomaso Albinoni, Christoph Willibald Gluck, Wolfgang Amadeus Mozart, Ludwig van Beethoven, Franz Joseph Haydn, Gioachino Rossini, Franz Schubert, Felix Mendelssohn, Frederic Chopin, Carl Maria von Weber e Robert Schumann. O primeiro período, 1685 a 1730, traz Bach, Pachelbel, Handel, Purcell, Vivaldi e Albinoni. O segundo período, de 1731 a 1775, traz Handel, Gluck, Bach, Mozart e Vivaldi. O terceiro período, de 1776 a 1787, traz Mozart. O quarto período, de 1788 a 1810, traz Mozart, Beethoven e Haydn. O quinto período, de 1811 a 1841, traz Rossini, Schubert, Mendelssohn, Chopin, Weber e Schumann. O sexto período, de 1842 a1853, traz  Mendelssohn, Liszt, Verdi, Schumann, Wagner e Suppe. O sétimo período, de 1854 a 1866, traz Offenbach, Rubinstein, Liszt,  Brahms, Verdi, Grieg, Smetana, Suppe e Strauss II. O oitavo período, de 1867 a1876, traz Tchaikovsky, Brahms, Smetana, Wagner , Grieg, Bizet, Delibes e Strauss. O nono período, de 1877 a 1893,  traz Tchaikovsky, Dvorak, Rimsky-Korsakov, Grieg, Strauss II  e Wagner. O decimo período, de 1894 a1928, traz Strauss, Mahler, Sibelius, Rimsky-Korsakov, Massenet, Elgar, Dvorak e Ravel. Para ouvir: http://tny.gs/p2afmX
O maior acervo on-line de música brasileira
O acervo musical do Ins­tituto Moreira Salles disponibiliza aproximadamente 28 mil gravações, a maior parte raridades que foram digitalizadas de discos de 78 rpm de grandes coleções pessoais. Fazem parte do acervo os arquivos do músico Alfredo da Rocha Vianna Filho, o Pixi­nguinha; do jornalista e pesquisador musical José Ramos Tinhorão; do fotógrafo e pesquisador Humberto Franceschi; do pianista e compositor Er­nesto Nazareth; do jornalista e produtor musical Walter Silva; da pianista e compositora Chiquinha Gonzaga; e da cantora Elizeth Cardoso, considerada uma das mais importantes intérpretes da música brasileira em todos os tempos. Destaque para a música de Francisco Alves, Mario Reis e Garoto. Para acessar: http://bit.ly/u29qZG
200 clássicos da música erudita on-line
O Classical Music Only Channel, canal do YouTube dedicado a música erudita,  disponibiliza desde 2008 clássicos para audição on-line. Nomes como Friedrich Kreisler, Rachmaninoff, Brahms, Tchaikovsky, Johann Sebastian Bach, Wagner, Schubert, Mendelssohn, Beethoven, Strauss, Chopin, Liszt, além de óperas de Rossini, Jacques Offenbach, Franz von Suppé,  Nicolai, Mozart e Verdi podem ser ouvidas no canal. Para acessar: http://bit.ly/mQa8T8
Rádio Jazz trompete
Os melhores trompetistas de jazz do mundo. Para acessar: http://bit.ly/diTJhP
Buscador de músicas e artistas
O projeto Musikki é uma ferramenta de busca de conteúdo musical que permite buscas simultâneas no YouTube, Last.FM, Amazon, Flickr e Twitter. Diferentemente de outros buscadores, o Musikki agrega numa única página todo o resultado: biografia, vídeos, fotos, agenda de concertos e últimos tweets postados sobre o assunto. O projeto, que ainda está em fase de teste, foi desenvolvido por alunos da Universidade de Aveiro, de Portugal.  Para acessar: http://www.musikki.com/
Criador de playlist com vídeos do YouTube
Um buscador de música que monta uma playlist do artista pesquisado e outra por afinidade musical. Para acessar:  http://bit.ly/16ET8c
A primeira fotografia
A primeira fotografia da história. Feita em 1826 e atribuída ao francês Joseph Nicéphore Niépce. Para acessar:  http://on.fb.me/yWC4wk
A primeira fotografia colorida
A primeira fotografia colorida da história, feita pelo físico James Clerk Maxwell, em 1861. Para acessar: http://on.fb.me/z1xTz8
A maior coleção de fotografias históricas do mundo
O acervo da Library of Congress traz fotografias de 1830 a 2010. Para acessar:  http://1.usa.gov/gTYU7e
20 mil fotos de 40 fotógrafos premiados
O site Alafoto disponibilizou, para uso não comercial, uma nova galeria com aproximadamente 20 mil imagens. A nova seção, chamada de “Bravíssimo”, é composta por 40 premiados fotógrafos e abrange o período de 1958 a 2010. Fazem parte do acervo fotógrafos de 15 nacionalidades: a alemã Claudia Rogge, especializada em nus; o fotógrafo gótico americano Chris Anthony, uma das lendas da internet; o belga Christophe Gilbert, considerado o rei do Photoshop; o russo Andrey Razoomovsky, um dos maiores especialistas em arte erótica do mundo; o polonês Jarek Kubicki, que se notabilizou por suas ilustrações para capas de CDs famosos; o italiano Gabriele Rigon, especialista em fotografia de guerra; o canadense Michael Levin, um mito da fotografia contemporânea, especializado em retratar o cotidiano de pessoas anônimas; Rene Maltete, francês que ficou conhecido por capturar cenas com humor de duplo sentido; o inglês Michael Kenna, um dos maiores especialistas da história da fotografia em preto e branco; o suíço Bruno Bisang, que imortalizou Claudia Schiffer, Huntziger Michelle e Mônica Bellucci; o francês Hedi Slimane, fotógrafo oficial de Amy Winehouse e responsável por suas últimas fotos em estúdio; o britânico Gavin Bond, o mais famoso fotógrafo de Hollywood; o marfinense Ben Heine, especializado em ilustrações e desenhos; o russo Russell Croman, o maior nome da fotografia espacial de todos os tempos;  a russa Elena Kalis, que ficou famosa pela série de fotografias feitas dentro da água; o suíço Guido Mocafico, especializado em natureza morta; o húngaro Sarolta Ban, que mistura fotografia e arte digital; o americano Spencer Tunick, conhecido pelas suas fotografias de grandes aglomerações de pessoas;  a australiana Anne Geddes, uma das fotógrafas mais respeitadas do mundo, que notabilizou-se pelo registro de bebês e crianças pequenas;  o inglês Lee Jeffries, especializado em fotografia de rua; o francês Gilbert Garcin, reverenciado por seu trabalho com colagens e esculturas; o lituano Ben Shahn, que ficou famoso como ilustrador editorial e influenciou várias gerações de ilustradores e designers; o escocês Albert Watson, que era cego de um olho, mas imortalizou nomes como Kate Moss, Alfred Hitchcock, Eric Clapton, Keith Richards e Mick Jagger; o britânico Tim Flach, especializado em fotografias de animais, sobretudo cães, gatos e cavalos; o americano Carl Bengtsson, fotógrafo de moda que mistura passado e presente; o lendário fotógrafo publicitário italiano Thomas Lavezzari; a canadense Corrie White, que ficou conhecida por suas fotografias de gotas em close-up; o norte-americano Thomas Shahan, especialista em macro fotografia; o parisiense Nicolas Guerin, um dos mais famosos fotógrafos de moda da França; o americano Kevin Lynch, especializado em urbanismo e autor de uma das fotografias mais influentes da arquitetura (A Imagem da Cidade); e o iraniano Firooz Zahedi, que se imortalizou por seus trabalhos nas revistas “The New Yorker”, “Vanity Fair”, “ Time”, “Esquire” e “Premiere”. Para acessar: http://bit.ly/ov2AEr
Memorial do Holocausto
38 mil fotos do Memorial do Holocausto disponíveis on-line. Para acessar:  http://t.co/zY9iMJX
Fotografias panorâmicas da cidade de Veneza
O fotógrafo Gilles Vidal, especializado em fotografia panorâmica, criou o projeto 360venezia, no qual é possível passear virtualmente pela lendária cidade italiana. Lugares como Bacino Orseolo, Palazzo Ducale, Rio del Ponte Delle Beccarie, Ponte dei Sospiri, Ponte di Rialto, Piazza San Marco, Sestiere di Santa Croce, Rio Della Misericordia, Chiesa di San Vidal, Ponte de la Rioda, Sestiere di Castello, Campo San Tomà, Canal Grande,  San Pietro, Peschiera, Maddalena, San Apostoli, San Giacomo, Scuola San Gio, além de uma fotografia panorâmica de toda a cidade, podem ser conferidos em alta definição. Para acessar: http://www.360venezia.com
Fotodocumentários
Fotodocumentários realizados pela lendária agência Magnum, de Henri Cartier-Bresson.  Para acessar:  http://bit.ly/5ob7S
Querida fotografia
O Dear Photograph é um projeto de fotografia colaborativa que tem como slogan “Take a Picture of a Picture from the Past in the Present” (Tire uma foto da foto do passado no presente). O projeto propõe sobrepor uma foto antiga sobre o mesmo cenário, em dias atuais. O Dear Photograph foi criado pelo canadense Taylor Jones, de 21 anos, e virou sensação na internet.  Uma forma divertida de documentar uma lembrança e comparar o passado e o presente. Para participar do projeto basta enviar a foto e uma pequena legenda para o e-mail indicado no site. Para acessar: http://dearphotograph.com/
Imagens gratuitas
Um buscador de imagens gratuitas de alta resolução. Para acessar: http://bit.ly/8ZxBSQ
Passeie pelas cidades-sede da Copa 2014
O portal Brasil 360° propõe uma viagem interativa pelas cidades brasileiras que serão sedes da Copa do Mundo de 2014. Das 12 cidades-sede (Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo), cinco já têm vídeos disponíveis no portal: Rio, Cuiabá, Curitiba, Manaus e Salvador. Até o começo de 2012 todas as cidades estarão disponíveis. O projeto, desenvolvido por uma empresa de tecnologia de Portugal, foi encomendado pela Embratur. Para navegar pelas imagens basta pressionar o mouse. Para acessar: http://bit.ly/oiwlRt
Paul Cézanne
A obra completa de Paul Cézanne. Para acessar:  http://bit.ly/bTnQA1
Leonardo da Vinci
O caderno secreto de Leonardo da Vinci. Para acessar:  http://t.co/uZUe9ZG
63 mil pinturas de cinco mil artistas
O projeto Your Paintings, da rede de notícias britânica BBC em parceria com a organização Public Catalogue Foundation, pretende disponibilizar para consulta on-line todo o acervo de pinturas a óleo dos museus e das galerias do Reino Unido. O acervo atual disponível para visitação é composto de 63 mil pinturas, de aproximadamente cinco mil artistas e 850 galerias. As pinturas compreendem o período de 1400 a 1990. O objetivo dos curadores do Your Paintings é catalogar e disponibilizar aproximadamente 200 mil obras nos próximos dois anos.  Por meio da ferramenta de busca, os usuários podem localizar pinturas pelo nome do artista, nome da obra, museu ou região. Também é possível fazer uma visita guiada on-line com especialistas, ou montar uma galeria pessoal com as pinturas prediletas. Outro destaque do Your Paintings é uma galeria com os 36 pintores mais conhecidos, com obras inclusas no site, entre eles, Leonardo da Vinci, Francis Bacon, William Blake, Georges Braque, Delacroix, Caravaggio, Van Gogh, Raphael, Botticelli, Monet, Cézanne e Renoir. Para acessar:http://bbc.in/pdekdb
Tour virtual por pinturas famosas
Navegue pelo “O Nascimento de Vênus”, de Botticelli, e outras pinturas famosas em 28 milhões de pixels. Para acessar: http://bit.ly/wxWhaA
3 milhões de lições de pronúncia em 60 idiomas
O Pronunciator é um serviço on-line que ensina a pronúncia correta de palavras e frases em 60 idiomas. A partir da escolha do seu idioma nativo e de outro, que deseja aprender, ele traz cinco níveis de exercícios: palavras básicas, verbos essenciais, frases simples, frases para turistas e conversação. Todas as aulas são baseadas na audição e repetição. Escolhendo um determinado exercício, o site abrirá uma tela com “play” e alguns botões de comando para você escolher o formato da aula. O Pronunciator pode ser utilizado somente para audição ou pelo sistema de exercício com reconhecimento de voz, em que você repete uma determinada palavra ou frase e o site lhe avisa se sua pronúncia foi correta ou se você deverá deve repeti-la até acertar, podendo assim passar para a aula seguinte. Para acessar: http://www.pronunciator.com
Acervo do grupo Folha
O acervo do grupo Folha abrange 90 anos de história, de 1921 a 2011. São séries completas de três títulos: “Folha da Noite”, diário vespertino criado em 1921; “Folha da Manhã”, edição matutina criada em 1925; e “Folha de S.Paulo”, que resultou da fusão, em 1º de janeiro de 1960, dos dois diários e da “Folha da Tarde” (1949-1959). O acervo também disponibiliza o “Guia Folha”, que circula desde 1997; e a “Revista São Paulo”, lançada 2009. Ao todo, são mais de 25 mil exemplares disponíveis para consultas on-line gratuitas, da Semana de Arte Moderna, em 1922, passando pela ascensão e queda de Hitler, na década de 1940, à Primavera Árabe, onda revolucionária de manifestações e protestos ocorrida no Oriente Médio em 2011. O acervo foi digitalizado de quatro instituições públicas: o Arquivo Público do Estado de São Paulo, a Biblioteca Nacional, a Biblioteca Mário de Andrade, e o Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo. Para acessar:http://acervo.folha.com.br/

Educacionais
144 sites educacionais. Para acessar: http://bit.ly/aMnstP
100 alternativas à Wikipédia
O portal Free College Classes, especializado em educação on-line, fez uma lista com 100 alternativas à Wikipédia. A compilação reúne bibliotecas, enciclopédias e dezenas de sites de referência em artes, matemática, medicina, música, ciências, esporte, astronomia, tecnologia, língua e literatura. Diferentemente da Wikipédia, que é uma enciclopédia open source, ou seja, que permite que qualquer usuário edite informações tornando-a pouco confiável, os sites que aparecem na lista do Free College Classes, em sua maior parte, são editados por especialistas. Ao todo, são mais de 400 milhões de itens, divididos entre artigos, teses, livros, áudios, vídeos, mapas e imagens para download ou consulta on-line. Embora haja predominância da língua inglesa, conteúdo em 50 idiomas pode ser encontrado. A lista também traz uma seção de simulados e outra para consulta on-line com especialistas. Alguns destaques da lista: Ency­clopedia.com, permite pesquisar em 100 enciclopédias ao mesmo tempo; The Free Library, uma das maiores bibliotecas on-line do mundo com 18 milhões de livros e artigos; Encyclopedia of Life, reúne informações sobre cada espécie de planta, animal, fungos e bactérias que vivem na Terra; Fact Monster, ferramenta direcionada ao público infantil com informações básicas sobre quase tudo que existe; All Music Guide, o maior guia de música da internet; Oxford Music Online, uma espécie de porta de entrada para todos os tipos de pesquisa musical; Encyclopedia Mythica, a maior coleção de recursos e links para assuntos relacionadas a mitologia, religião, folclore e lendas urbanas; Thesaurus Visual, dicionário que mapeia sinônimos e antônimos visualmente; The Straight Dope, faça  perguntas sobre qualquer tema para obter respostas personalizadas de um especialista; Bibliomania, site especializado em textos clássicos e raros; Merck Medical Manuals, uma gigantesca coleção de manuais médicos disponíveis para profissionais da saúde; Library of Congress,  Biblioteca do Congresso americano, um dos maiores acervos culturais do mundo; Symbols, informações sobre milhares de símbolos, sua história, uso e significados; Nasa Images, o maior acervo de fotografias espaciais da internet; Time and Date, para descobrir o que aconteceu em qualquer dia ou época da história. Para acessar: http://bit.ly/roCABP
Vídeos para educadores
100 sites especializados em vídeos para educadores. Para acessar: http://bit.ly/nxTOJm
O maior acervo cultural e científico do mundo
A Europeana é o maior acervo cultural e científico on-line do mundo. São 15 milhões de itens, entre imagens, pinturas, desenhos, mapas, fotos, livros, jornais, cartas, diários, vídeos e áudios. Alguns itens e tópicos são mundialmente famosos, como os desenhos de Leonardo da Vinci, as pinturas de Vermeer, e a primeira edição do livro de Isaac Newton “Princípios Matemáticos da Filosofia Natural”, escrito em 1687, sobre as leis do movimento dos corpos. Também há uma seção destinada aos tesouros europeus, documentos raríssimos que datam da Idade Média. Cerca de 1500 instituições participam do projeto, entre elas a British Library de Londres e o Museu do Louvre, de Paris. O projeto Europeana está disponível em 28 línguas. Para acessar: http://europeana.eu/
Biblioteca Britânica
Acervo on-line de uma das maiores bibliotecas do mundo. Para acessar:   http://www.bl.uk/
Steven Spielberg
Os arquivos de Steven Spielberg. Para acessar:  http://bit.ly/2DgxVo
Os 10 melhores começos de livros
Perguntei a 35 convidados, de díspares perfis, quais eram os melhores inícios de livros que haviam lido. Cada participante poderia indicar até três começos inesquecíveis, de autores brasileiros ou estrangeiros de todas as épocas. 37 livros foram citados, mas apenas 23 obtiveram mais de uma citação. São eles “Crônica de Uma Morte Anunciada”, “Cem Anos de Solidão” e “Amor nos Tempos do Cólera”, de Gabriel García Márquez; “O Lobo da Estepe”, de Hermann Hesse; “Grandes Esperanças”, de Charles Dickens; “O Retrato de Dorian Gray”, de Oscar Wilde; “Memórias Póstumas de Brás Cubas” e “Dom Casmurro”, de Machado de Assis; “1984”, de George Orwell; “Lolita”, de Vladimir Nabokov; “O Estrangeiro”, de Albert Camus; “Um Amor de Swann”, de Marcel Proust;  “Trainspotting”, de Irvine Welsh; “Viagem ao Fim da Noite”, de Louis-Ferdinand Céline; “O Apanhador no Campo de Centeio”, de J.D. Salinger; “Notas do Subsolo”,  de Dostoiévski; “O Amanuense Belmiro”, de Cyro dos Anjos; “O Complexo de Portnoy”, de Philip Roth; “Grande Sertão: Veredas”, de Guimarães Rosa; “Moby Dick”, de Herman Melville; “A Metamorfose”, de Franz Kafka; “O Ventre”, de Carlos Heitor Cony, e “Pergunte ao Pó”, de John Fante. Para acessar: http://bit.ly/v8M1ps
Os 10 melhores começos de livros de autores brasileiros
Dando sequência à série de melhores começos de livros, perguntei a 20 convidados — escritores, críticos, professores e jornalistas — quais eram os melhores inícios de livros de autores brasileiros. Cada participante poderia indicar até cinco começos, excetuando aqueles que apareceram na primeira lista: “Grande Sertão: Veredas”, de Guimarães Rosa; “O Ventre”, de Carlos Heitor Cony; e “O Amanuense Belmiro” de Cyro dos Anjos. 21 livros foram citados, 14 obtiveram mais de uma citação, são eles “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, de Machado de Assis; “Quase Memória”, de Carlos Heitor Cony; “A Maçã no Escuro”, de Clarice Lispector;  “Memórias de um Sargento de Milícias”,  de Manuel Antônio de Almeida; “Lavoura Arcaica”, Raduan Nassar; “Deus de Caim”, Ricardo Guilherme Dicke; “Macunaíma”, de Mário de Andrade; “A Morte e a Morte de Quincas Berro D’Água”, de Jorge Amado; “Com Meus Olhos de Cão”, de Hilda Hilst; “O Tempo e o Vento”, de Erico Verissimo; “O Jardim do Diabo”, de Luis Fernando Verissimo;  “A Lua Vem da Ásia”, de Campos de Carvalho; e “Dom Casmurro” e “Memórias Póstumas de Brás Cubas”,  de Machado de Assis. Para acessar: http://bit.ly/yHztKl
Os 10 melhores finais de livros
Dando sequência à série de melhores trechos de livros, inverti a pergunta, e pedi a 15 convidados — escritores, críticos, professores e jornalistas — que apontassem quais eram os melhores finais de livros da literatura universal. Cada participante poderia indicar até cinco finais, sem se preocupar com a relevância canônica da obra, levando em consideração apenas o gosto pessoal e o prazer proporcionado por ela. 16 livros foram citados, 11 obtiveram mais de uma citação, são eles “Crime e Castigo” e “Notas do Subsolo”, de Fiódor Dostoiévski; “On The Road”, de Jack Kerouac; “Cem Anos de Solidão”, de Gabriel García Márquez; “1984”, de George Orwell; “A Espera dos Bárbaros”, de J. M. Coetzee; “Nada de Novo no Front”, de Erich Maria Remarque; “Lolita”, de Vladimir Nabokov; “O Grande Gatsby”, de F. Scott Fitzgerald, e “O Estrangeiro”, Albert Camus. Dois autores: Fiódor Dostoiévski e Gabriel García Márquez, que aparecem na lista atual, já apareceram na lista de melhores começos, publicada anteriormente. Para acessar: http://bit.ly/wF6M2q
Os 10 melhores poemas de todos os tempos
Perguntei a 30 convidados — escritores, críticos, professores, jornalistas — entre obras poéticas conhecidas, quais são os melhores poemas de todos os tempos. Cada participante poderia indicar entre um e dez poemas. Nenhum autor poderia ser citado mais de uma vez. 69 poemas foram indicados, mas destes apenas 23 tiveram mais de três citações. São eles: “O Cão Sem Plumas” e “Morte e Vida Severina”, de João Cabral de Melo Neto; “Campo de Flores” e “A Máquina do Mundo”, de Carlos Drummond de Andrade; “Romanceiro da Inconfidência”, de Cecília Meireles; “Via Láctea”, de Olavo Bilac; “Canção do Exílio”, de Gonçalves Dias; “Romanceiro Gitano”, de Federico García Lorca; “Poema do Fim”, de Marina Tzvietáieva, “Nalgum Lugar em que Nunca Estive”, de e. e. cummings; “Anabase”, de Saint-John Perse; “A Divina Comédia’, de Dante Alighieri; “Funeral Blues”, de W.H. Auden; “O Corvo”, de Edgar Allan Poe; “Terra Desolada”, de T.S. Eliot; “Tabacaria”, de Fernando Pessoa; “Poema Sujo”, de Ferreira Gullar; “Cântico Negro”, de José Régio; “À Espera dos Bárbaros”, de Konstantinos Kaváfis; “E Então, Que Quereis?…”, de Vladímir Maiakóvski; “Os Estatutos do Homem”, de Thiago de Mello, e “Hugh Selwyn Mauberly”, de Ezra Pound. Para acessar: http://bit.ly/wLWZUH
30 contos de até 100 caracteres
Embora não seja reconhecido como um gênero literário — sendo associado às tendências de vanguarda e ao minimalismo —, os “microcontos” ganharam um grande número de adeptos nas duas últimas décadas. A partir do início dos anos 1990, estudos e antologias começaram a abordar o tema de forma enfática, resultando em centenas de publicações em todo o mundo. Ainda que pareça, as micronarrativas de ficção não são algo recente. Grandes nomes da literatura mundial como Tolstói, Jorge Luis Borges, Bioy Casares, Julio Cortázar e Ernest Hemingway já incursionaram pelo tema. O escritor guatemalteco Augusto Monterroso, que morreu em 2003, é tido como um dos fundadores do “gênero” com o conto “O Dinossauro”, escrito com apenas trinta e sete letras e considerado o menor da literatura mundial, na época: “Quando acordou o dinossauro ainda estava lá.” O norte-americano Ernest Hemingway também é o autor de outro famoso microconto, com apenas vinte e seis letras: “Vende-se: sapatinhos de bebê nunca usados.” No Brasil, o pioneiro foi o escritor Dalton Trevisan, com o livro “Ah, é?”, de 1994. Mesmo não havendo nenhuma regra clara, uma das definições para o microconto seria o limite de 150 caracteres, incluindo espaços. Para acessar: http://bit.ly/wdKMUt
Melhores filmes do IMDb
Os filmes mais bem avaliados no IMDb. Para acessar: http://bit.ly/h0zye
Bibliotecas impressionantes
As 35 bibliotecas mais impressionantes do mundo. Para acessar: http://t.co/hX6Jvvgu 
Os livros mais caros do Brasil
O Estante Virtual, fundado em 2005, é o maior portal de livros usados do Brasil e um dos maiores do mundo. São mais de 1.900 sebos de 330 cidades cadastrados. Todos os usuários têm à disposição sua própria estante e podem vender livros  para leitores de mais de 30 países.  Um dos destaques do site é a seção de livros raros, onde estão à venda relíquias que “valem” uma pequena fortuna.  Por exemplo, um exemplar de 1870, da primeira edição de “20 mil Léguas Submarinas”, de Júlio Verne, está anunciado por  99 mil reais, fora o frete. Um exemplar da primeira edição “Jornal do Commercio”, datado de 1º de outubro de 1827, tem o preço sugerido de 51 mil. Para ver toda a seção de raros, que tem aproximadamente 90 mil livros cadastrados, acesse este endereço: http://bit.ly/q7zy28 
As cartas perdidas de Caio Fernando Abreu
Um tesouro guardado no arquivo do escritor Nei Duclós por 35 anos traz por inteiro o jovem Caio F, então com 27 anos, com suas lutas, medos e sonhos, reportando com lucidez e coragem a época e o país em que vivia, a profissão que abraçou e seus complicados habitantes. Para acessar: http://bit.ly/zQlK44 e http://bit.ly/yEgnol (parte 2). 
Vinhos de A a Z 
Os termos e jargões mais utilizados, organizados em ordem alfabética. Para acessar:  http://bit.ly/doQbOh
Conjugador de verbos on-line
Base de verbos conjugados da língua portuguesa com aproximadamente 280 mil registros. Para acessar:  http://bit.ly/5OOoj
Paleta de cores on-line 
Paleta de cores em 3D. Para acessar: http://t.co/wpfh26A
Corpo humano em 3D
Navegue pelo corpo humano em 3D (é mais detalhado do que o aplicativo do Google). Para acessar: http://bit.ly/mqg8AP
Relógio atômico
Relógio com precisão atômica. Para acessar: http://t.co/KaM6NhI
Toda a obra de Wolfgang Amadeus Mozart para download
O site www.mozart-weltweit.com disponibilizou para download legal e para audição on-line, toda a obra do compositor austríaco Wolfgang Amadeus Mozart, composta por cerca de 700 peças, totalizando mais de 180 horas de música. Mozart foi o mais importante e prolífico compositor do período clássico. Suas obras são referenciais na música sinfônica, concertante, operística, coral, pianística e de câmara. Mozart compôs o primeiro concerto aos 11 anos de idade e o último em 1791, ano de sua morte, aos 35 anos. Entre suas obras estão 41 sinfonias; 19 missas (incluindo o Requiem); 27 concertos para piano; concertos para trompas, flauta, oboé, clarineta, fagote e harpa, 12 árias de concerto; 13 serenatas; 50 canções para voz e piano e 24 óperas, com destaque para “A Flauta Mágica” “Idomeneo”, “Don Giovanni” “O Rapto do Serralho” “Cosi Fan Tutte” e “As Bodas de Fígaro”. Para fazer o Download basta clicar sobre a opção desejada, com o botão direto do mouse pressionado, e mandar salvar.  Para acessar:http://bit.ly/YzFvN Endereço alternativo: http://bit.ly/8kjcde
1001 álbuns para ouvir antes de morrer
O “1001 Álbuns” é um projeto audacioso. Seus criadores disponibilizaram 1001 álbuns de música para se ouvir on-line. Os discos do projeto são os mesmos do livro “1001 Discos Para Ouvir Antes de Morrer”. A seleção foi feita por 90 jornalistas e críticos, em 2006, e abrange a história da música de 1955 a 2005, de Frank Sinatra a Arcade Fire. Para acessar: http://bit.ly/5oluqk
As 100 maiores canções de jazz da história (com vídeo e áudio incorporados)
Os sites Jazz24 e NPR Música fizeram uma enquete mundial para eleger as 100 melhores canções de jazz em todos os tempos. 1500 canções foram citadas por cerca de 10 mil participantes. No topo da lista aparece “Take Five”, composição escrita por Paul Desmond e apresentada pelo The Dave Brubeck Quartet, no álbum “Time Out”, de 1959. “Take Five” foi o primeiro single de jazz da história a vender 1 milhão de cópias. O segundo lugar da lista ficou com “So What”, de Miles Davis, gravada no álbum “Kind of Blue”, também de 1959.  Em terceiro lugar aparece “Take The a Train”, composta  por Billy Strayhorn e gravada por Duke Ellington, no álbum “Uptown”, de 1952. John Coltrane é o músico que aparece mais vezes, com oito canções. A lista traz ainda uma galeria de lendas como Dizzy Gillespie, Louis Armstrong, Chet Baker, Ella Fitzgerald, Stan Getz, Benny Goodman, Oliver Nelson, Herbie Hancock, Coleman Hawkins, Bill Evans, Ahmad Jamal, Glenn Miller, Ray Charles, Charlie Parker, Errol Garner,  Billie Holiday, Thelonious Monk e Nina Simone. Para acessar os vídeos: http://bit.ly/lSDqTi Para acessar o áudio: http://tny.gs/lm3vil Para acessar apenas o resultado: http://bit.ly/hqlB76
A melhor rádio on-line do mundo
A Accu Jazz é considerada a maior e melhor rádio de jazz on-line do mundo.  São mais de 50 canais divididos em dezenas de categorias como estilo, instrumento,  compositor, região e período. Faça um passeio pela história do jazz, do Dixieland da década de 1910, passando pelas Big Bands dos anos 30, pelo Bebop dos anos 40, pelo  Jazz latino das décadas de 50 e 60, pelo  Fusion das décadas de 70 e 80 até os ritmos jazzísticos dos dias atuais. Para ouvir gratuitamente:http://www.accujazz.com
Um clássico do Rádio brasileiro
A  Rádio Difusora de Camanducaia foi um clássico do rádio no Brasil, criada pelo radialista Odayr Batista,  na década de 1970. O personagem principal era um locutor poeta, de voz empostada,  chamado Alberto Jr. O projeto fez parte da grade de programação das principais rádios brasileiras, como Globo, Bandeirantes e Jovem Pan. Em  2005, depois de anos fora do ar, o projeto foi reativado na internet. Para ouvir e reviver a lendária Rádio e o famoso bordão: “falando para a cidade e cochichando para o interior”, basta clicar nos estabelecimentos comerciais e esperar alguns segundos. Para acessar: http://www.radiocamanducaia.com.br
A música do dia em que você nasceu
Qual era a música que estava no topo das rádios no dia em que você nasceu? O site This Day In Music responde essa pergunta. Você pode consultar a data nas paradas musicais australiana, inglesa e americana, entre 1946 e os dias atuais. Algumas músicas estão disponíveis para ouvir on-line. Para acessar: http://bit.ly/gtTf
Busque pessoas por afinidades musicais
O site Tastebuds é uma espécie de rede social que lista pessoas por suas afinidades musicais. O principal mandamento do site é: “você é o que você ouve”. Muito simples de usar e sem necessidade de cadastro, basta digitar o mínimo de três artistas ou bandas favoritas, seu país e começar a compartilhar suas preferências musicais. Os resultados podem ser filtrados por cidade, país, idade e sexo.  O site é integrado ao last.fm e permite que os usuários migrem seu conteúdo. Para acessar: http://bit.ly/9aBTJS
100 discos fundamentais da MPB
A lista foi organizada pelo professor, escritor e pesquisador musical Luiz Américo Lisboa Junior e compreende o período de 1955 a 1999. O levantamento traz desde clássicos do passado como Herivelto Martins, Sílvio Caldas e Lamartine Babo, passando por músicos inovadores como João Gilberto, Baden Powell e Mutantes, até nomes recentes como Marisa Monte. Embora os 100 discos não tenham sido hierarquizados, o levantamento traz uma resenha individual de cada um deles. Para acessar: http://bit.ly/dbleXq
O maior acervo de vídeos de jazz da internet
O Jazz Music Tube é o maior acervo de vídeos clássicos de jazz da internet. Os vídeos são listados por estilo, pelo nome do artista, ou podem ser pesquisados pela busca do site. Um passeio pela história do jazz de 1920 a 2010, de Earl Hines a colagens jazzísticas dos anos 2000. Cerca de 10 mil vídeos estão disponíveis. Destaque para os 100 melhores vídeos de jazz de todos os tempos. Para acessar: http://bit.ly/ellBDg
Os grandes mestres da música clássica para download legal
O Wikipedia:Sound/list é maior diretório on-line gratuito de música clássica da internet. As obras, de centenas de compositores, estão disponíveis para audição on-line ou para download legal. Para ouvir, basta clicar no player disponível em cada um dos temas. Para fazer o download, é preciso clicar no nome da obra, mandar salvar e depois utilizar o http://www.online-convert.com para converter para o formato Mp3. Para cessar:http://bit.ly/HRRJB
As 100 melhores canções de rock de todos os tempos
O site de compartilhamento de músicas on-line Grooveshark disponibilizou uma playlist com as 100 melhores canções de rock de todos os tempos. A lista, que compreende o período de 1955 a 1986, traz desde os célebres Buddy Holly, Chuck Berry, Jerry Lee Lewis, Jimi Hendrix e  Beatles, até clássicos contemporâneos como Aerosmith e Nirvana.  A lista disponibilizada pelo Grooveshark é uma compilação de 20 listas especializadas. Em 2010, a AOL Music também fez uma lista com as 100 melhores canções de rock de todos os tempos. Diferentemente da lista compilada pelo  Grooveshark, a lista da AOL foi baseada  na avaliação de cerca de 200 mil ouvintes,  entre 2005 e 2010. Na lista do Grooveshark, “(I Can’t Get No) Satisfaction”, da banda britânica Rolling Stones, aparece na primeira posição. Na lista da AOL Music, “Stairway to Heaven”, dos também britânicos Led Zeppelin, é que tem o posto de primeiro lugar. Além de The Rolling Stones e Led Zeppelin; Pink Floyd e Beatles são as bandas que mais vezes aparecem em ambas as listas. Lista do Grooveshark: http://tny.gs/nfrBa0 — Lista da AOL Music:http://aol.it/a08mvY
A obra completa de Machado de Assis para download
Uma parceria entre o portal Domínio Público e o Núcleo de Pesquisa em Informática, Literatura e Linguística, da Universidade Federal de Santa Catarina, sistematizou, revisou e disponibilizou on-line a Coleção Digital Machado de Assis, reunindo a obra completa do autor para download. Além dos romances, “Ressurreição” (1872), “A Mão e a Luva” (1874), “Helena” (1876), “Iaiá Garcia” (1878), “Memórias Póstumas de Brás Cubas” (1881), “Casa Velha” (1885), “Quincas Borba” (1891), “Dom Casmurro” (1899), “Esaú e Jacó” (1904) e “Memorial de Aires” (1908),  a coleção engloba sua obra em conto, poesia, crônica, teatro, crítica e tradução. O projeto, que foi criado em 2008, também disponibiliza teses, dissertações e estudos críticos, e traz um vídeo sobre a vida do autor e sobre o contexto histórico em que ele viveu. Para acessar:http://machado.mec.gov.br
1 milhão de livros para download
Open Library é um projeto sem fins lucrativos do Internet Archive e da Fundação Austin. O projeto consiste na disponibilização crescente de milhares de livros para download legal ou leitura on-line. Atualmente são 1 milhão exemplares e, embora a língua predominante seja a inglesa, podem ser encontrados livros em cerca de 40 idiomas. Também faz parte do acervo preciosidades históricas dos séculos 15, 16, 17 e 18. Para acessar: http://bit.ly/cPvcIT
Os 100 maiores livros não ficcionais
O suplemento “Livros”, do jornal inglês “The Guardian”, publicou uma lista dos 100 maiores livros não ficcionais já escritos. A lista, que gerou uma grande polêmica, foi dividida em 17 categorias: arte, biografia, cultura, meio ambiente, história, jornalismo, literatura, matemática, memórias, mente, música, filosofia, política, religião, ciências, sociedade e viagens. Livros das últimas décadas como “Notícia de um Sequestro”, de Gabriel García Márquez, “Pós-Guerra”, de Tony Judt, “Os Anéis de Saturno”, de W.G. Sebald, “Uma Breve História do Tempo”, de Stephen Hawking, dividem a lista com clássicos literários dos últimos séculos como “As Histórias”, de Heródoto, “Assim falou Zaratustra”, de Friedrich Nietzsche, “Os Ensaios” de Michel de Montaigne “Confissões”, de Jean-Jacques Rousseau e “Elogio da Loucura”, de Erasmo. O site do jornal também disponibilizou um formulário para que os leitores que discordarem do resultado possam apontar livros que ficaram fora lista.  Como em qualquer lista, o resultado pode até ser questionável, mas não menos divertido. Para acessar: http://bit.ly/kwGEvG
120 livros acadêmicos para download gratuito
Cultura Acadêmica  é um selo da Fundação Editora da Unesp, que publica livros em primeira edição apenas nos formatos digitais, com a possibilidade de download gratuito. Atualmente são 120 títulos,  pautados nos conselhos editorias e comissões científicas e divididos em áreas como matemática, política, psicologia, comunicação, medicina, direito, filosofia, artes e literatura. Para acessar: http://bit.ly/bEpO3N
Toda a obra poética de Vinícius de Moraes para download
A Brasiliana, a biblioteca digital da Universidade de São Paulo, disponibilizou para  download gratuito, toda a obra poética de Vinícius de Moraes. Ao todo são 15 livros, compreendendo o período de 1933 a 1975. São eles: “O Caminho para a Distância”, “Forma e Exegese”, “Ariana, a Mulher”, “Novos Poemas”, “5 Elegias”, “Poemas, Sonetos e Baladas”, “Pátria Minha”, “Orfeu da Conceição: Tragédia Carioca”, Livro de Sonetos”, “Receita de Mulher”, “Novos Poemas: II”, “Antologia Poética”, “O Mergulhador”, “Um Signo: Uma Mulher” e “A Casa”. Para acessar:http://bit.ly/9RPdCW
 

Como criar uma história épica

 
Deixe um comentário

Publicado por em 06/04/2012 em Cinema, Livros

 

Como os livros funcionam

 
Deixe um comentário

Publicado por em 06/04/2012 em Livros

 
 
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 293 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: